Críticas, elogios e a necessidade de aceitação

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Desde todos os tempos, as críticas incomodam. Há os que dizem gostar, há os que dizem não se importar e há os que declaradamente reagem emocionalmente.
O fato é que ouvir críticas é duro, pois se você estiver alinhado com um desejo de perfeição, ouvir uma crítica pode escancarar a verdade que você não é perfeito, que não agrada a todos, que erra. E tudo isso são exigências reais e comuns para um eu idealizado que criamos em nossa cabeça.
A minha criança interior concluiu desde cedo que precisava ser aceita e amada por todos. E concluiu que se eu fosse eu mesma, eu seria rejeitada. Eu tinha que ser outra pessoa.
Passei a vida tentando tampar meus defeitos, esconder a todo custo, mas era impossível. Isso só me deixou extremamente cansada e infeliz. Há uns anos venho trabalhando para mudar isso. E são camadas e camadas que surgem a cada nova experiência assimilada. Ainda tem chão.
O fato é que encontrei uma verdade que muito acolhe o meu coração: tudo o que o outro se incomoda em mim,  é algo que ele (o outro) não aceita nele mesmo. E pude confirmar isso fazendo o teste de buscar em mim as coisas que me desagradavam no outro. Alguns defeitos foram bem difíceis de encontrar e me fez duvidar dessa máxima. Mas o senhor tempo um dia me mostrava aquele aspecto em mim. É preciso saber olhar.
Da mesma forma, elogios incomodam. Quando há alguém que nos vê com tamanha grandeza e expõe isso, lá vem o ego dizer que você não pode se envaidecer. É errado.
Mas a máxima vale para o bom também. Quando alguém te vê belo, sábio, encantador ou inteligente, são todas características que ele REconhece em você. Tá aí o espelho se manifestando de novo.
Isso tem me ajudado a não me sentir superior ou envaidecida com elogios. Estou só sendo espelho!

Termino dizendo que me mostrar aqui tem sido um grande exercício pra mim nessa jornada de não aceitação. Correndo riscos de ser julgada, mal compreendida e até ridícula.
Não me importa, viu? Eu estou fazendo o exercício de ser eu mesma. E eu amo compartilhar o que vivo nas minhas profundezas.
Agradeço a todos os meus apoiadores por isso, a quem curte, comenta e permanece por aqui, sem me bloquear.

danielle.carneiro@gmail.com