Um pouco sobre mim

Certo dia, cansada de tanto sofrer, tudo o que havia em mim era um vazio enorme e muitas emoções doloridas. Eu me sentia perseguida pela vida. 

“Não é possível que a vida tenha que ser tão sofrida assim!”

Em algum momento me ocorreu de procurar ajuda. Pela primeira vez na vida, eu olhei pra mim, para o meu coração e vi que doía, doía muito. 

Fui a uma terapeuta.

Estava ali, sentada à frente de uma mulher de meia idade, alguém que eu nunca tinha visto, mas que de alguma forma me fez sentir segura para me abrir. 

Nesse movimento eu enxerguei várias feridas internas “em carne viva”. O simples fato de falar sobre elas era doloroso. 

Mas ali, junto a ela, fui me abrindo e chorando. A cada lágrima derramada, um certo alívio ia surgindo. Nesse dia, meu mundo girou. 

Passei de completa vítima da vida, impotente e sem saber como sair daqueles ciclos de dor a uma perspectiva de completa esperança.

Foi como se alguém tivesse acendido uma luz num quarto escuro. 

A partir dali iniciei uma caminhada. Descobri que eu era a responsável por todos os acontecimentos da minha vida e que eu podia modificá-los. Foi uma descoberta dolorosa, porém libertadora. Eu não dependia mais da mudança das pessoas ao meu redor. Foi a virada de chave. 

Passei um período de “tratamento intensivo”, onde o objetivo era me sentir melhor no meu dia a dia. Para isso eu precisei revisitar as situações mais doloridas, as histórias do meu passado que relutei em olhar. Era o remédio amargo.

A cada acontecimento cotidiano desconfortável, eu levava para a terapia e lá eu aprendia a acolher e tratar minhas dores da forma mais amorosa possível. Foi um grande e importante aprendizado. 

Naquela época, eu era completamente infeliz no meu trabalho porque eu tinha um grave conflito com o meu chefe. 

Na área de relacionamentos, eu queria muito ter alguém do meu lado, mas caía recorrentemente em situações onde eu não passava de um mero objeto sexual. 

Na área de finanças minha vida era um caos. Mesmo tendo um bom salário, eu tinha dívidas, deixava contas sem pagar todo mês e não sabia explicar como o meu dinheiro não era suficiente. 

 

Rejeição era a palavra central nos meus relacionamentos com amigos e familiares. Me sentia sempre excluída e insuficiente. 

Não estava satisfeita com minha estética e transitava de dieta a dieta. 

Aos poucos fui me conhecendo. Aprendi a compreender meus padrões emocionais e conheci diversas ferramentas e terapias alternativas que me ajudaram a me transformar. 

Em certo ponto decidi colocar foco em resolver uma a uma das áreas da minha vida. Eu determinava minhas metas e então buscava dentro de mim tudo que era obstáculo para alcançá-las. 

Algum tempo depois, comecei a colher os frutos:

  • Vida financeira equilibrada e com prospecção para o futuro. 

  • Relacionamento afetivo harmonioso e feliz, onde cada um pratica o autoconhecimento, conversa sobre seus processos e se apoia, sem escravizar o outro. 

  • Amizades sinceras e profundos.

  • Intimidade, harmonia e proximidade nos relacionamentos familiares. 

  • Reconhecimento e realização profissional.

  • Autoestima elevada, alcancei o meu peso ideal. 

  • Aspectos indiretos: produtividade, organização, planejamento, sensibilidade, habilidade para se comunicar, mediar conflitos, intuição, criatividade, entre outros. 

À medida que fui limpando cada coisinha em mim, foi surgindo um espaço que eu jamais poderia enxergar antes: um amor e um jeitinho para facilitar a vida das pessoas. 

Um dia percebi que eu gostava de ouvir os problemas das minhas amigas e interpretar os padrões, compreender as causas e identificar cada variável. Descobri um dom e decidi me tornar terapeuta. 

Constatei que cada espaço onde mergulhei no meu interior me levava a poder visitar os mesmos espaços no interior das pessoas que chegavam até mim. Assim eu podia guiá-los na sua própria autocura. 

 

Continuei a caminha, pois entendi que se eu não cavasse fundo dentro de mim eu permaneceria no raso com essas pessoas. 

Identifiquei meu modo de trabalhar: eu gosto do profundo, gosto de acelerar. Minha alma acredita que não devemos mais perder tempo com a infelicidade. Cada minuto que puder ser vivido de forma plena e feliz deve ser aproveitado. 

Não pude reter tudo isso comigo.  Descobri que minha alma estava sedenta para compartilhar tudo o que aprendi e ser para as pessoas o mesmo amparo que minha terapeuta foi para mim.

Vamos começar?

Fechar Menu
Precisa de ajuda?