A melhor coisa que você pode fazer pelo seu filho é permitir que ele te odeie

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

“Devemos honrar pai e mãe.”⁣

“Não se pode odiar pai e mãe. Eles são sagrados.”⁣

Esse tipo de frase nos é ensinada desde que somos criancinhas. ⁣

Porém, somos humanos. É impossível passar essa vida sem nunca ter experimentando o sentimento de ódio. ⁣

Na infância, quando o ego ainda é imaturo, a criança anseia por amor exclusivo e é incapaz de ser altruísta.⁣

Quando suas necessidades não são atendidas, ela se frustra, sente-se rejeitada, não amada o suficiente e, logo em seguida, odeia.⁣

Esse ódio normalmente é direcionado às pessoas que ela mais ama. ⁣

Nesse momento, cria-se um importante conflito na psique, que é o amor versus o ódio. ⁣

A criança sente vergonha e culpa desse sentimento INVOLUNTÁRIO e tende a reprimi-lo no seu inconsciente. ⁣

Quando adulto, esses sentimentos reprimidos são os principais causadores de todos os conflitos internos e externos. ⁣

Tudo poderia ser diferente se, desde crianças, em casa, pudéssemos falar abertamente sobre o ódio e nos permitíssemos senti-lo.⁣

Quando se sente ódio, não significa que não se ama. Não são sentimentos excludentes. ⁣

Você pode amar e odiar a mesma pessoa. Essa é uma das maiores dualidades da vida. ⁣

Negar e reprimir os sentimentos é a causa de todos os males do nosso corpo emocional. ⁣

Por isso, não apenas para o seu filho, mas também para a sua criança ferida que vive dentro de você, eu sugiro:⁣

Não tenha medo do seu ódio. Permita-se senti-lo. Ele não é a totalidade de você. Acolha-o.

Garanta um futuro com saúde emocional.

danielle.carneiro@gmail.com