Após a separação, como me preparei para um novo relacionamento.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Após a minha separação, a primeira coisa que busquei foi não me precipitar.

Eu quis viver o luto da relação e eu queria poder me sentir bem sozinha para não entrar em um novo relacionamento por carência.

Foi natural eu olhar para o relacionamento anterior e pensar nos problemas, no que deu errado.

De repente, vi um anúncio no Instagram e o conteúdo de uma pessoa me chamou atenção. Ela falava sobre polaridades feminina e masculina e a vida estava me direcionando mais uma vez pra olhar pras coisas por esse prisma.

Eu havia percebido que buscava um homem com atitudes mais masculinas. Eu tinha uma clara sensação de que queria ser cuidada (embora isso tenha sido revisto depois).

Decidi fazer esse estudo e fui percebendo que esse era o olhar que me faltava. Descobri que existem os papéis do masculino e do feminino na relação e essa ordem podia gerar os resultados que eu esperava. Também entendi muita coisa do que tinha acontecido no relacionamento anterior.

Vi que eu precisava desenvolver ainda mais o meu feminino e esse estudo mudou minha visão sobre muitas coisas, inclusive me fez enfrentar todo o preconceito que eu tinha com apps de relacionamento.

Aprendi a comunicação a partir do feminino, aprendi a identificar homens na polaridade masculina e aprendi a lidar com o aplicativo. Entrei.

Tive algumas experiências, vivi algumas dores e colhi muuuitos aprendizados. E essa é a primeira pergunta que eu vou responder sobre meu relacionamento: Sim, eu o conheci no Tinder!

________________________________________________

 

Recebi no direct do Instagram a seguinte pergunta que motivou esse post:

 

Eu já estava há um tempo querendo compartilhar tantos aprendizados que tive nos últimos tempos no tema de relacionamentos. Essa pergunta foi só um empurrãozinho!

Vou continuar contando as histórias baseada nas perguntas que eu receber. Portanto, não hesite em perguntar por aqui mesmo. O que você gostaria que eu compartilhasse? Sua pergunta pode ser respondida nos próximos posts!

danielle.carneiro@gmail.com