Fui traída – lição 3 –

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Eu já estava vivendo uma outra história.⁣

O diálogo era muito difícil e, por isso, não conseguíamos resolver nossas questões. ⁣

Certa vez, ele combinou que iria a um aniversário comigo e falou pra eu ir na frente. ⁣

Comprei nossa bebida e fui. ⁣

A noite foi passando e nada dele chegar. As mensagens que eu enviava não eram entregues. ⁣

Às 3 da manhã, ele me responde dizendo que caiu no sono. ⁣

No dia seguinte, bem sem querer, a verdade cai no meu colo: vejo uma foto dele num bar, com uma turma grande, onde eu conhecia metade das pessoas que estavam junto. ⁣

Doeu muito. Terminei. Dias depois voltamos a ficar juntos. ⁣

Mas os problemas do relacionamento persistiam. ⁣

Certo dia, numa sessão de terapia, pude ver claramente como eu sempre tinha desejos de vingança, mas nunca permitia expressá-los. ⁣

Claro, né? Vingança é uma coisa ruim que não devemos fazer. ⁣

Mas ao ver o quanto eu tava só levando chumbo na cabeça e nada do outro ter consciência disso, tomei uma decisão:⁣

RESOLVI EXPERIMENTAR A VINGANÇA COM CONSCIÊNCIA. ⁣

Sim, eu queria saber que sensação era aquela e ver o que eu aprendia com aquela situação. ⁣

Ele ia viajar e me pediu pra levá-lo no aeroporto. Eu disse que sim. ⁣

Desliguei o celular, fui tomar uma cerveja e só liguei o celular novamente no dia seguinte. ⁣

Desespero foi o que ele sentiu. Vociferou comigo ao telefone. ⁣

Eu, respondi como ele sempre fazia: me fiz de sonsa, como se não fosse comigo. ⁣

Senti prazer. Muito prazer. ⁣

Um estalo: encontrei em mim a parte que gosta de machucar o outro, contada no post anterior. ⁣

Pude, dessa vez, experimentar os dois lados de uma moeda e, então, fazer escolhas diferentes na minha vida. Tive uma cura.⁣

danielle.carneiro@gmail.com